Proprietários devem ficar atentos aos desafios que impõem a seus pets nesta época do ano com as viagens de férias e com o aumento da incidência de carrapatos, pulgas e outros insetos transmissores de doenças aos mascotes

 

O verão chegou antecipadamente em muitas regiões do país, onde as temperaturas já estão bem elevadas. Para quem divide sua rotina com um animal de companhia, os dias quentes e mais longos são um convite para passeios ao ar livre, viagens e brincadeiras na água, mas o sol forte e o calor intenso exigem dos proprietários alguns cuidados para garantir a saúde e o bem-estar dos pets.

 “O clima quente e úmido deste período do ano faz aumentar a incidência de alguns parasitas que atacam os animais de companhia. Isso acontece porque as condições climáticas passam a ser ideais para a sua reprodução. É o caso de carrapatos e pulgas, os principais vilões. Além de ameaçarem o bem-estar dos pets e a tranquilidade das famílias, são transmissores de diversas doenças, tanto para os animais quanto para os humanos”, explica Andrei Nascimento, Gerente Técnico da Unidade Pet da MSD Saúde Animal.

 No caso dos cães, algumas doenças transmitidas pelos carrapatos podem ser fatais, por isso, manter estes invasores longe de casa é essencial. Para assegurar a saúde dos pets, os proprietários estão cada vez mais adotando a prevenção como forma de combater o problema. Os comprimidos mastigáveis que protegem os cães contra carrapatos e pulgas são a melhor opção para manter os parasitas longe dos animais. Bravecto™ é o único que protege os cães durante 12 semanas com uma única dose e oferece benefícios tanto para os animais quanto para seus donos: a ação prolongada que combate os ectoparasitas por mais tempo, aliada à praticidade de um comprimido altamente palatável e de fácil administração,  promove proteção e comodidade.

“Os insetos  transmissores  da leishmaniose visceral também têm maior incidência nesta época do ano. A leishmaniose é uma doença endêmica de alta letalidade, que pode ser transmitida aos cães e ao homem e pode matar o animal e colocar em risco a vida das pessoas que convivem com ele”, esclarece Andrei Nascimento.

Para prevenir a doença, os proprietários devem utilizar métodos que evitam o contato do animal com o inseto transmissor, como a coleira impregnada com deltametrina a 4%, Scalibor®, recomendada pela Organização Mundial da Saúde como forma de controle da doença. E no caso de viajar na companhia de seu animal, é importante verificar se o destino da viagem é considerado endêmico para a doença, o que reforça a necessidade da proteção.

Outro cuidado importante que os proprietários devem ter é com relação à exposição dos animais à água e banhos, muito mais frequentes nesse período do ano. Os ouvidos devem estar sempre protegidos, para evitar o desenvolvimento de otites, um problema comum  nos cães e que causa grande desconforto.

“Os proprietários podem observar os seguintes sintomas em seus cães, que possivelmente indicam a existência da inflamação: coceira intensa, choro ao coçar, o que indica dor, forte odor no ouvido, excesso de cerúmen (cera), perda de audição e até do apetite”, alerta Andrei Nascimento. Para uma correta avaliação, é importante consultar o veterinário, que poderá fazer o diagnóstico e indicar a terapia adequada a cada uma das situações.

Existem os tratamentos indicados para os casos de otites externas leves e moderadas e os que devem ser aplicados nos casos mais complicados, como as infecções intensas e recorrentes. A MSD oferece duas opções para solucionar as mais diversas situações de otite externa em cães: o recém lançado POSATEX™, indicado para tratar as infecções mais intensas, complicadas e recorrentes, que são de difícil adesão por parte dos proprietários, e OTOMAX®, marca já consolidada no segmento, que oferece uma opção de tratamento eficaz, segura e coerente para as otites externas leves e moderadas.

Além destes cuidados, o proprietário deve sempre se lembrar de:

– Oferecer água à vontade ao animal;

– Passear com o pet nos horários de temperaturas mais amenas;

– Ficar atento à temperatura do solo no horário dos passeios, para não queimar as patas do animal;

– Estar com a carteirinha de vacinação do pet em dia, uma vez que o animal que viaja está exposto a um novo ambiente e a outros animais;

– Em caso de viagem de avião, verificar previamente as normas da companhia aérea para o embarque do animal;

– Certificar-se de que o hotel no qual irão se hospedar aceita animais;

– Em caso de viagem de carro, utilizar caixa de transporte, pois proprietários que viajam com animais soltos são passíveis de multas pelo Código de Trânsito Brasileiro;

– Consultar regularmente o médico-veterinário.

Sobre a MSD Saúde Animal

Hoje a MSD é a líder mundial em assistência à saúde, trabalhando para ajudar o mundo a viver bem.  A MSD Animal Health, conhecida como Merck Animal Health nos Estados Unidos e Canadá, e como MSD Saúde Animal no Brasil, é a unidade de negócios global de saúde animal da MSD. Através do seu compromisso com a Ciência para Animais mais Saudáveis™, a MSD Saúde Animal oferece aos veterinários, fazendeiros, proprietários de animais de estimação e governos a mais ampla variedade de produtos farmacêuticos veterinários, vacinas e soluções e serviços de gerenciamento de saúde. A MSD Saúde Animal se dedica a preservar e melhorar a saúde, o bem-estar e o desempenho dos animais, investindo extensivamente em recursos de pesquisa e desenvolvimento amplos e dinâmicos e em uma rede de suprimentos global e moderna. A MSD Saúde Animal está presente em mais de 50 países, enquanto seus produtos estão disponíveis em 150 mercados.

Para mais informações visite www.msd-saude-animal.com.br.

Fan page no Facebook: www.facebook.com/msdsaudeanimal

Twitter: www.twitter.com/msdsaudeanimal

Declarações Prospectivas da Merck & Co., Inc., Kenilworth, N.J., EUA

Este comunicado à imprensa da Merck & Co., Inc., Kenilworth, N.J., EUA (“empresa”) inclui “declarações prospectivas” de acordo com o significado das disposições de segurança da U.S. Private Securities Litigation Reform Act (Lei Norte-Americana de litígios sobre valores mobiliários) de 1995. Estas declarações são baseadas em suposições e expectativas atuais da direção da empresa e estão sujeitas a riscos e incertezas significativas. Se as suposições subjacentes forem incorretas ou houver riscos ou incertezas, os resultados reais podem diferir materialmente daqueles contidos nas declarações prospectivas.

 Os riscos e incertezas incluem, mas não estão limitados a, condições gerais da indústria e da concorrência, fatores econômicos gerais, incluindo taxa de juros e flutuações da taxa de câmbio, impacto da regulamentação da indústria farmacêutica e legislação de saúde nos Estados Unidos e internacionalmente, tendências globais para contenção de custos com a saúde, avanços tecnológicos, novos produtos e patentes obtidas por concorrentes, desafios inerentes ao desenvolvimento de novos produtos, incluindo a obtenção de aprovações regulatórias, capacidade de a empresa prever com precisão as condições futuras de mercado, dificuldades ou atrasos de produção, instabilidade financeira das economias internacionais e de risco à soberania, dependência da eficácia das patentes da empresa e outras proteções para produtos inovadores e exposição a litígio, incluindo litígios de patentes e/ou ações regulatórias.

 A empresa não assume nenhuma obrigação de atualizar publicamente qualquer declaração prospectiva, seja como resultado de novas informações, eventos futuros ou de qualquer outra forma. Outros fatores que possam fazer com que os resultados difiram substancialmente daqueles descritos nas declarações prospectivas podem ser encontrados no Relatório Anual de 2014 da empresa, no Formulário 10-K e outras submissões da empresa junto à Securities and Exchange Commission (SEC) (Comissão Norte-Americana de Valores Mobiliários), disponível no site da SEC (www.sec.gov).