Um desabamento em uma obra no Itaim Bibi, bairro da Zona Oeste de São Paulo, na manhã desta sexta-feira causou a morte de uma pessoa e deixou cinco feridas. O acidente aconteceu por volta de 9 horas, quando operários da construção faziam a soldagem de uma tenda metálica que desabou na estrutura da obra e danificou o apartamento modelo da empresa Cyrela.

Por volta de 12h30, o Corpo de Bombeiros encerrou o resgate das cinco vítimas que tiveram ferimentos. A sexta vítima, que também chegou a ser socorrida, morreu no local. Os bombeiros trabalharam com apoio de 15 viaturas durante a operação. A área ficará interditada.

A obra, onde será construído um prédio, fica na Rua Michel Milan, número 107, no bairro Itaim Bibi, em São Paulo. Uma das vítimas foi encaminhada ao Pronto Socorro Albert Sabin e outras a unidades hospitalares da região, informaram os bombeiros.

O coordenador da Defesa Civil de São Paulo, Milton Roberto Persoli, afirmou que a queda da estrutura metálica sobre o espaço que servia como estande de vendas e apartamento modelo afetou as duas colunas de sustentação do local. “Vamos aguardar o responsável [pela obra] para que possamos fazer um relatório técnico inicial e encaminhar para a subprefeitura, para que ela faça a análise das licenças emitidas, dos projetos elaborados.”

Inicialmente havia sido divulgado o número de sete feridos atingidos pelo desabamento da obra, mas a Defesa Civil informou que são seis as vítimas resgatadas, uma delas faleceu no local. “A obra teve a laje que cedeu, bastante ferro retorcido, o teto veio totalmente junto com a lage. Um cenário de bastante dificuldade para os bombeiros, para a localização das vítimas. Neste primeiro momento, foi difícil saber quantas vítimas são e onde estavam no momento do acidente”, afirmou.

Em uma nota, a Cyrela e a ICR Construções Racionais emitiram parecer de lamento pelo acidente. “O estande de vendas estava desativado desde a última quarta-feira. As empresas informam que estão prestando toda assistência às vítimas e suas famílias, bem como estão auxiliando as autoridades na investigação dos fatos”, dizem as empresas no comunicado.

Até o momento, não há a confirmação se o local tem alvará e licença de funcionamento. Como a subprefeitura de Pinheiros, que inclui o Itaim Bibi, não abre neste feriado prolongado, não é possível verificar a informação. A Polícia Civil esteve no local e ouviu testemunhas e responsáveis. (Com informações da Agência Brasil)