Empresária encontrou oportunidade na área e investe na capacitação de profissionais

O mercado pet anda na contramão da crise. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o faturamento do setor cresceu 7,4% em 2015, fechando o ano com R$ 17,9 bilhões. De olho nessa perspectiva, a empresária sorocabana Natália Espinosa decidiu unir o amor pelos animais e a qualidade dos serviços de banho e tosa com o empreendedorismo. Ela abriu uma escola de estética animal em Sorocaba, que atrai alunos de vários estados brasileiros.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são mais de 132 milhões de animais estimação no Brasil, dos quais 52,2 milhões são cães e 22,1 milhões são gatos. A empresária destaca que o Brasil ocupa o terceiro lugar no mundo nesse segmento. “As famílias estão optando por ter menos filhos e mais pets. Hoje, a proporção é de 40 cães para 30 crianças e a previsão para 2020 é de 70 cães a cada 100 famílias”, comenta.

Natália acompanhou de perto esse crescimento. Aos 18 anos ela trabalhava em um Kennel Clube, onde registrava cães de raça pura e promovia exposições de beleza canina. Foi lá que descobriu seu amor pelo mundo animal. Ela chegou a sair da área e a antiga profissão passou a ser um hobby quando começou a trabalhar em um escritório de contabilidade.

Nesse momento de sua vida, sentia muita vontade de ser mãe, mas não se sentia preparada financeira e emocionalmente. Foi quando decidiu ter uma cachorrinha da raça Yorkshire, a Sophia, e percebeu uma necessidade no mercado. “Nunca ficava satisfeita com os serviços prestados pelos petshops em que eu a levava. Seja pela má qualidade do atendimento ou pela falta de profissionais. Pedi demissão e decidi abrir meu próprio petshop”, conta a empresária.

Com o dinheiro da rescisão, ela fez um curso de especialização e começou a trabalhar em casa. Mas em apenas nove meses, conseguiu abrir seu primeiro pet shop e, com dois anos e meio, inaugurou a segunda loja, gerando dez empregos diretos. “Nunca parei de estudar, sempre busquei cursos de aperfeiçoamento para não cair a qualidade e também para poder treinar minha equipe da maneira adequada”, salienta a empreendedora.

Natália diz que tem o dom de detectar oportunidades, ela sempre teve dificuldade com os profissionais que contratava para as lojas. “Percebia que mesmo formados em cursos da área, vinham mal preparados e eu mesma tinha que treiná-los novamente, da parte técnica à operacional”, relembra. Sentindo mais essa necessidade, abriu mão dos petshops e, em setembro de 2014, fundou a Uau Escola de Estética Animal.

Nova fase

Natália começou a dar aulas em um pet shop terceirizado, mas a demanda aumentou rapidamente. Em agosto de 2015, inaugurou uma sede exclusiva para o funcionamento da escola, no Jardim Vergueiro, com capacidade para formar até 30 alunos do curso básico, por mês.

Nesse local, Natália e outros instrutores de renome na área também ministram cursos de aperfeiçoamento para profissionais já formados.

“Os animais de estimação são considerados membros da família, dessa maneira há a necessidade da especialização de um maior número de profissionais para atender a demanda do mercado e não há espaço para amadores”, destaca. “O tripé do bom profissional é buscar conhecimento, ter bons equipamentos e trabalhar com produtos de qualidade”, completa.

Em outubro de 2015, a especialista conquistou seu primeiro título internacional de groomer (em tradução literal, significa esteticista animal, em inglês), o Certificate Professional Groomer – da International Professional Groomer – Brasil. “Há anos que me dedico exclusivamente a essa área, seja exercendo meu trabalho com extrema dedicação, seja me aperfeiçoando. Essa certificação foi uma das provas que estou no caminho certo”, comemora Natália.

 

Natália Espinosa

Desenvolvendo talentos

A Uau Escola de Estética Animal recebe alunos de todo o Brasil, como Scheila Maria Resende, 30, de Boa Esperança – MG. “Trabalhei durante um ano em um petshop da minha cidade, mas agora resolvi montar o meu e estou buscando me especializar. Descobri esse curso pela internet e só vi pessoas elogiando, decidi investir e estou gostando muito da estrutura e de tudo que estou aprendendo”, elogia a aluna.

Aline Ribeiro, 26, é de Altônia – PR. Ela conta que trabalhava na indústria têxtil, mas sempre teve vontade de trabalhar com banho e tosa de pets. “Um fator determinante para minha escolha foi a estrutura do local, o único dos pesquisados que vi que era realmente uma escola”.

Elisina Maria de Almeida tem 56 anos e é Sargento da Polícia Militar aposentada. Conta que sempre gostou de animais e chegou a atuar como auxiliar de veterinária do batalhão em que trabalhava em Campinas. “Nunca é tarde para se realizar um sonho, agora conseguirei fazer o que sempre quis: abrir meu petshop e trabalhar com animais”.

E uma das alunas de Natália agora é seu braço direito. Stefany de Castro, de 23 anos, deixou o trabalho no comércio para fazer o curso, há um ano. Sua aptidão chamou a atenção da professora.

A aluna encontrou sua verdadeira vocação. “Ensinar é melhor do que fazer, sinto que estou colaborando para melhorar o futuro de muitas pessoas e isso é muito gratificante”, avalia Stefany. “O mais legal é poder compartilhar meus conhecimentos e ajudar a realizar sonhos, ensinando uma profissão. Isso não tem dinheiro que pague”, finaliza Natália.