[huge_it_slider id="4"]

Recuperação de grades amassadas, perfis metálicos, guarda-corpos e ferragens das grelhas de concreto quebradas. Telhas em ótimo estado doadas por moradores. Portas de madeira e aço, vasos sanitários e janelas oriundas de demolições. Além de ser uma política sustentável, a reciclagem e o reaproveitamento de materiais feitos pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) vêm gerando economia aos cofres públicos em realização de obras na cidade.

Exemplo dessa política de sustentabilidade e economia, a Regional Norte conta com um espaço de reciclagem e reaproveitamento na própria sede. O trabalho no pátio  garante a recuperação de diversos tipos de materiais, que são utilizados em várias obras, como manutenções de redes, execuções de tampas de drenagens e tratamento superficial em vias, entre outras.

Duas pequenas obras realizadas recentemente na Região Norte tiveram o custo reduzido em 40% por  conta do reaproveitamento de materiais. No bairro Jardim Felicidade, por exemplo, perfis metálicos retirados de uma quadra poliesportiva, esta totalmente reformada, agora integram a estrutura de uma passarela. Já no bairro Ribeiro de Abreu foram reutilizadas defensas metálicas retiradas da avenida Cristiano Machado, devido a pequenos abalroamentos.

“Com o uso de materiais classificados como sucatas e existentes nos pátios da Regional Norte, as duas obras geraram uma economia de mais de R$ 20 mil aos cofres públicos para a manutenção”, destaca o coordenador municipal Humberto Guimarães Bernardes, da Regional Norte. “O trabalho foi o reaproveitamento de materiais, promovendo uma significativa economia e exigindo um mínimo de investimento financeiro”, enfatiza ele.

No Jardim Felicidade houve ampliação do greide da via; pavimentação e execução de passarela de pedestre; drenagem; instalação de meio-fio, passeio e guarda corpo; e limpeza de parte do córrego. Já no bairro Ribeiro de Abreu foram realizadas a troca dos guarda-corpos, recuperação da passarela e meio-fio, execução de passeio e instalação de defensas metálicas.

“Essa passarela era uma reivindicação antiga de todos os moradores e precisava ser mesmo mais segura, pois passam muitas pessoas diariamente e já até caiu gente lá dentro do córrego. Agora vai melhorar”, acho que vai melhorar”, afirma o aposentado Gilvan Oliveira da Silva, de 68 anos, morador do conjunto Felicidade,

Já Maria Aguiar de Oliveira, 56, confirma as melhorias na região do bairro Felicidade. “A reforma foi excelente. Tirou a bagunça que estava aqui, além de, agora, a gente poder passar tranquila”, declara ela, também moradora do bairro.

Fotos: www.flickr.com/photos/bhempauta_pbh/albums/72157687294320896