O jornalista Fábio Ramalho com o jornalista mirim, Fabinho de Itabaiana. Foto: Arquivo pessoal

 

Essa é pra quem não acredita que promessa é divida no meio televisivo. O extinto “Programa da Tarde” da Record, revelou um talento em 2015: um menino de 12 anos, que se mostrava o dono da menor repetidora da Record TV do mundo! O fã da emissora fazia seus próprios telejornais em casa, usando matérias gravadas do jornais da emissora e usando o celular para as gravações de sua emissora “fictícia”.

A história foi descoberta pelo jornalista Fábio Ramalho que viajou até Itabaiana, interior de Sergipe, para contar a história e realizar o sonho do jornalista mirim: conhecer uma emissora de televisão de verdade. “Eu não imaginava que existissem tantas televisões fictícias na internet, todas ‘dirigidas’ por crianças e jovens que entendem de verdade do assunto! Eles falam de qualidade dos produtos das emissoras ‘reais’ e, acredite, entendem do que estão falando!”- disse Fábio Ramalho na época. “Não dava pra deixar esse talento passar sem investir nele além da reportagem” – conclui o jornalista.

Três anos se passaram e Ramalho não esqueceu da promessa que fez, ao vivo no programa, quando apresentava ao lado de Ana Hickmann e Ticiane Pinheiro: dar um curso de edição para o menino se profissionalizar na montagem de seus videos! Hoje, com 15 anos, Fabinho de Itabaiana – como ficou conhecido – está no Rio de Janeiro para, não apenas fazer o curso; mas para aprender a editar ao lado do próprio Fábio Ramalho; e com um dos editores mais experientes da Record na capital fluminense.

A pedido de Ramalho, Acy Junior montou um turma de edição especial para o menino, com seletos 4 alunos, onde só entram alunos escolhidos – e extremamente dedicados – apontados pelo jornalista. “Minha família fala que ele foi um anjo em nossa vida. O programa acabou mas ele não esqueceu da promessa” – diz Fabinho, xará do apresentador. Fabinho passará um mês na casa do jornalista que o apadrinhou no Rio de Janeiro. Não resta dúvida, surge aí um novo nove do futuro jornalismo brasileiro.