Economia

Brasil terá a 3ª energia mais cara do mundo após reajustes

2 Min leitura

O aumento do preço da energia elétrica, que pode chegar a 40% neste ano, deve colocar o Brasil como o terceiro país com o custo mais alto entre um grupo de 27 países industrializados. O país encerrou 2014 na oitava posição do ranking, de acordo com levantamento da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). No fim do ano, o custo médio do MWh era de R$ 342,7. A entidade previa uma alta de 17% para este ano, mais o custo das bandeiras tarifárias, o que elevaria o valor a R$ 420,2. Com a decisão de que o Tesouro não vai mais bancar a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), o novo valor deve chegar a R$ 479,8, atrás apenas dos valores cobrados na Índia e na Itália.

Segundo Lincoln Gonçalves, presidente do Conselho de Política Econômica da Fiemg, é inevitável a indústria repassar o aumento da energia para o consumidor final.

O estudo da Firjan diz que “a situação do Brasil mediante o cenário internacional hoje já é preocupante, e a perspectiva da evolução futura do custo da energia elétrica implica em perda de competitividade para as indústrias nacionais”. A entidade diz que o país precisa buscar a redução do preço da energia. No curto prazo, a alternativa seria cortar impostos, como o ICMS e o PIS/Cofins. No longo prazo, a saída seria diversificar a matriz energética.

A Associação Brasileira de Grandes Consumidores de Energia (Abrace) diz que o aumento vai prejudicar a competitividade da indústria nacional. “Para assegurar a manutenção desse objetivo (competitividade da indústria nacional), entendemos que o mais adequado seria isentar a indústria do encargo, seguindo o exemplo de diversos países que consideram a energia um instrumento de política industrial”, diz o presidente da Abrace, Paulo Pedrosa.

Inflação. Esse aumento de até 40% tem uma causa de fatores, como o aumento do custo de geração causado pela seca – e que levou à adoção das bandeiras tarifárias – até o pagamento de financiamentos feitos nos últimos anos e o fim do subsídio do governo à CDE.

Bandeiras

Janeiro. Somente neste mês, o custo da energia já subiu 11,5% para a indústria, segundo a Firjan. O valor médio do MWh atingiu R$ 402,26, considerando o novo sistema e um aumento de 0,9% autorizado para a Eletropaulo (SP).

Relacionados
EconomiaGeral

Empreendedoras compartilham experiências em evento on-line e gratuito exclusivo para mulheres

2 Min leitura
O WOMEN Global & Powerfull será realizado nesta quinta-feira, 17 de junho, às 19h30, com Glauce Santos, que está à frente da…
Economia

Onde achar verdadeiros descontos em eletrônicos da Black Friday

3 Min leitura
Novembro é o mês mais esperado do ano por milhares de consumidores brasileiros: é nessa época que acontece a Black Friday, com…
Economia

Como encontrar CNPJ de empresas para oferecer seus serviços

3 Min leitura
Como encontrar CNPJ de empresas para oferecer seus serviços se mostra ainda mais necessário quando estamos começando nossos negócios. Porém, ir até…
Power your team with InHype

Add some text to explain benefits of subscripton on your services.