[huge_it_slider id="4"]

Visando elevar o nível de conhecimento dos profissionais que atuam no mercado, franquia imobiliária internacional, RE/MAX, presente em Minas Gerais, conta com universidade própria

 

Betânia Garcia – REMAX MIX
(Foto: Giovana Louise)

Os últimos anos não tem sido os melhores para quem atua no mercado de trabalho brasileiro. O país atingiu a maior taxa de desemprego desde 2012, somando mais de 13 milhões de desempregados, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Entretanto, mesmo em época de crise econômica, uma profissão tem ganhado destaque e crescido em todo o Brasil: a de corretores de imóveis.

O índice registra uma média anual de 7% no setor, só em Minas Gerais, mais de 30 mil profissionais estão inscritos no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI).  Esse crescente o número de pessoas que se interessam pela carreira se deve aos atrativos do ramo, que hoje é considerado um dos mais consolidados, maduros e cheios de oportunidades de crescimento para os profissionais.

Apesar das incertezas sobre o momento econômico que vive o Brasil, ser corretor de imóveis continua valendo muito a pena para profissionais que querem formar uma carreira sólida. Para ser um bom corretor, entretanto, é preciso seguir algumas exigências e ficar sempre atento à qualidade no trabalho, buscando atualização constante.

Os interessados precisam ter cursado pelo menos o ensino médio completo, para assim se especializarem na área. ”Para se tornar um corretor de imóveis profissional e ter capacidade legal para exercer a profissão, é necessário passar pelo curso Técnico em Transações Imobiliárias (TTI), que dura de 06 meses a 1 ano”, explica Pedro Pote, diretor regional da máster franchising imobiliária, RE/MAX MG. Pedro explica que a lei ainda não exige o diploma superior, porém, já existem várias instituições de ensino superior no Brasil que oferecem o curso de Gestão em Negócios Imobiliários, com duração de até dois anos e meio.

Na RE/MAX, os Corretores Associados dispõem de uma universidade própria, com cursos presenciais de cargas horárias variadas, além de que um portal onde são disponibilizados conteúdos – vídeos, e-books e outros materiais didáticos, 24h por dia e um planejamento de estudo individual para os corretores assim que ingressam na franquia, deixando-os preparados para o mercado. “No curso da Universidade RE/MAX o profissional aprende o caminho do sucesso. Aprende como deve ser feita a abordagem e o uso correto das novas tecnologias, como forma de alinhar ao seu valor agregado como corretor; a linguagem, o tom da conversa e a velocidade que a informação é transmitida, enfim as alternativas que ele próprio tem para transmitir confiança aos potenciais compradores”, explica o diretor da máster franchising.

Pedro Pote ressalta ainda que, apesar de fundamental a formação, é preciso ir além para se tornar um bom corretor. “O caminho é estar sempre antenado a profissão, às mudanças do mercado, da economia, e principalmente atento aos seus próprios conhecimentos, que devem ser atualizados e aperfeiçoados diariamente junto a essas mudanças“. Para ele, o principal erro do profissional iniciante é achar que lhe basta o diploma e a inscrição no CRECI, quando isso é apenas o começo.

Na franquia imobiliária internacional, o Corretor Associado RE/MAX é a estrela do negócio. O modelo de gestão da empresa visa a valorização desses profissionais, desde a capacitação até os benefícios colhidos pelo seu trabalho em campo, sem limites para crescer. Exemplo disso são unidades franqueadas RE/MAX com mais de 100 Corretores Associados em vários países e em ritmo constante de contratação.

Carreira de conquistas
O sucesso de Elaine Takahashi, franqueada da unidade RE/MAX Mix em Belo Horizonte, chamou atenção de Betânia Garcia. As amigas que já se conheciam de uma outra empresa onde trabalharam, novamente dividem o ambiente de trabalho. Betânia Garcia, hoje Corretora Associada da franquia imobiliária há quase 5 anos, se interessou pela marca ao ver as conquistas de Elaine, optou também pelo ramo imobiliário, e vêm trilhando um caminho de muitas conquistas.

“Estou muito feliz pelas conquistas e negócios que tenho conseguido concretizar na RE/MAX. É importante destacar, em primeiro lugar, uma das coisas primordiais no negócio imobiliário, a importância a exclusividade. Porque não tem como você querer fazer e propor parcerias de algo que você não tem exclusividade”, afirma Betânia Garcia. A corretora explicou que a exclusividade e as parcerias influenciam em tudo, inclusive em seu faturamento final. “Para vocês entenderem bem o que essa parceria significa, no ano de 2016, por exemplo, o meu valor geral de vendas foi de 4,7 milhões de reais, o que me proporcionou um ganho de R$134 mil, e mais de 30% desse faturamento foi realizado em parcerias com outros corretores”, explicou.

Apesar do momento em que o país vive não ser dos melhores, Betânia está otimista, e os números computados neste primeiro trimestre de 2017 não a deixam desanimar.  “Nesse ano de 2017, do início até o final do mês de março, eu já vendi 2,5 milhões, com um ganho de quase 50 mil reais líquidos. Só através de negócios em parcerias foram 25 mil reais, nesse início de ano. Então, é por isso que eu digo, na RE/MAX não tem segredo, se seguir direito as técnicas, vende!”, afirmou a corretora.

Betânia ainda destaca a qualidade oferecida pela franquia na formação de seus profissionais. “Tudo que você vende, você tem que ter técnica. E as técnicas da RE/MAX em termos de captação, exclusividade, de oferecer uma parceria do imóvel e da própria divulgação dele em si, são perfeitas! Não é à toa que dá certo no mundo todo, em mais de 100 países”, finaliza.