[huge_it_slider id="4"]

Hugo Werner Flister explica que os compradores devem sempre  exigir o certificado de autenticidade e consultar um especialista

IMG_0139-640x480

O diamante é uma das pedras mais cobiçadas pelas mulheres e pelos homens no mundo, principalmente pelas celebridades que chegam a gastar milhões para impressionar seus fãs na mídia. No entanto, muitas pessoas acabam comprando diamantes falsos por não saber identificar se a pedra é verdadeira e muito menos qual é a sua procedência. O mercado de diamantes é muito amplo no Brasil e movimenta milhões, entretanto, a melhor forma de não cair em um golpe é comprar pelas mãos de um profissional com boa reputação e de confiança no mercado.

Em entrevista, o Gemólogo e Perito, Hugo Werner Flister, com 32 anos de experiência, explica sobre este mercado de diamantes e alerta sobre quais cuidados as pessoas devem ter ao adquirir um diamante já que existem muitas falsificações. “Existem variadas imitações artificiais, sintéticas dentre outras, desde simples a sofisticadas. Por esse motivo, a pessoa que deseja adquirir um diamante, deve optar por empresas e profissionais estabelecidos e idôneos. Além disso, deve exigir certificado de autenticidade dos materiais (diamantes, joias e pedras preciosas e afins), e/ou ainda consultar profissional especialista (gemólogo) habilitado e credenciado (com registro profissional)”, salienta.

O que é um diamante?

É o material de maior dureza criado pela natureza, equivalente a 10 na Escala de Mohs, classificado como raro e precioso, portanto, cobiçado e valorizado no mercado.

Tal dureza o torna então inquebrável?

Não, sua dureza é máxima em função da fricção, traço e desbaste; más suscetível à clivagens, fraturas e estilhaçamentos quando submetido a impactos ou pressões.

Qual é a diferença entre Diamante e Brilhante?

Diamante é o significado da classificação mineral e brilhante é o significado  da forma de lapidação.

Quais são os principais aspectos que classificam um diamante lapidado?

São quatro aspectos principais: cor, pureza, peso e tipos e qualidade da lapidação.

Quais parâmetros são utilizados na classificação?

São tabelas de padrão universal utilizadas como fontes referenciais para classificação de diamantes.

Existem muitas falsificações?

Sim. São variadas imitações artificiais, sintéticas dentre outras, desde simples a sofisticadas.

Qual é o objetivo da imitação?

Substituir materiais autênticos (naturais) pelos sintéticos, destinados ao uso em produtos mais acessíveis para comercialização no mercado como imitações, porém comumente comercializados de forma fraudulenta como legítimos diamantes.

Qual é a imitação mais próxima do verdadeiro?

A moissanita sintética, em função de seus aspectos e características bastante parecidas com as do diamante.

Como evitar tais danos/prejuízos?

Optar por empresas e profissionais estabelecidos e idôneos, exigir certificado de autenticidade dos materiais (diamantes, joias e pedras preciosas e afins), e/ou ainda consultar profissional especialista (gemólogo) habilitado e credenciado (com registro profissional).

Como contactar/contratar?

São 32 anos dedicados à profissão, realizando os trabalhos com ética e responsabilidade no intuito de sempre apresentar o melhor resultado. Temos escritório e laboratório para atendimento, meus contatos telefônicos são: (31) 3273-2648 e celular (31) 99907-5881. E mail: hugowernerperito@yahoo.com.br. Para conhecer um pouco mais sobre nosso trabalho, temos algumas matérias já publicadas na Web. Basta consultar usando o nome Hugo Werner Flister, ou ainda Associação dos Peritos Judiciais, Árbitros, Conciliadores e Mediadores de Minas Gerais (Aspejudi).  Confira pelo site: www.aspejudi.com.br ou diretamente pelo link: http://aspejudi.com.br/perito.php?hugo-verner-flister-556.AX .