Com a ausência de Dátolo no Atlético para a final do Campeonato Mineiro, neste domingo, no Independência, contra o América, o técnico Diego Aguirre não confirmou a escalação do time e frisou que não se incomoda em ter que alterar a formação.

Aguirre, inclusive, é acostumado a mexer em algumas peças a cada partida. Desta vez, ele terá que encontrar um substituto para Dátolo – que tende a ser Cazares, único armador de origem disponível -, além de escolher um atleta para o lugar de Júnior Urso, que será poupado, neste caso, por opção do treinador.

“Futebol não é só com 11 jogadores, e trocar um jogador não significa muito. A base do time está pronta. Não preciso repetir os 11 jogadores, mas tem sempre sete ou oito jogadores que repetem. São muitas opções onde o time não muda muito, porque a qualidade é grande em todos os jogadores que temos a disposição. Eu não fico preso a um time”, declarou.

O Atlético vinha jogando com três volantes, mas Urso tinha mais liberdade para atacar e criar. A dúvida é se ele colocará um outro volante, ou optar por uma formação mais ousada, tendo alternativas como Clayton, Hyuri ou até mesmo Carlos ou Patric, este último que estava em boa fase jogando improvisado mais avançado até se lesionar e foi indicado como possível título neste domingo por Aguirre.

“Ele (Patric) está à disposição e estará entre os jogadores relacionados; para começar ou para o banco. Ele está pronto para ajudar o time”, afirmou o treinador após o treino dessa sexta.

Neste primeira partida, o mando de campo será do América, que terá que repetir o feito da semifinal e tentar inverter a vantagem que hoje é do Galo, que precisa de dois resultados iguais para ser campeão mineiro. O Duelo da volta será no outro domingo, dia 8 de maio, no Mineirão.