Se para a maioria das pessoas feriado é motivo de descanso, para os jogadores do Atlético e Cruzeiro, na semana que antecede o maior clássico de Minas, o que não falta é trabalho. O jogo pela 9ª rodada do Campeonato Mineiro está marcado para as 11h (de Brasília), no próximo domingo (27) no Independência.

O Cruzeiro segue realizando treinos fechados e não dá pista de quais jogadores estarão em campo diante do rival. A equipe celeste não contará com Alisson e Arrascaeta, convocados pela seleção Brasileira e Uruguai, respectivamente. O Zagueiro Dedé, o meia Marcos Vinícius e os atacantes Judivan e Willian, seguem no departamento médico.  Na quinta (24), o zagueiro Fabrício não participou do treino, devido a uma febre, mas seu nome ainda não foi descartado.

Enquanto na Cidade do Galo na última quinta, o treinador Diego Aguirre, comandou uma atividade tática e o time titular foi formado por Uilson; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Tiago e Carlos César; Rafael Carioca, Júnior Urso, Luan e Robinho; Hyuri e Lucas Pratto. Os desfalques alvinegros para o clássico são nove: Victor, Giovanni, Dátolo, Patric e Carlos, contundidos, Cazares e Erazo, na Seleção Equatoriana, e Clayton e Douglas Santos, na Seleção Brasileira olímpica. O capitão da equipe, Leonardo Silva,  aposta na presença da torcida para impulsionar a vitória do time.

“Mesmo com todas as circunstâncias, praticamente dez desfalques, tenho uma perspectiva boa. Vamos jogar em casa, com o apoio da nossa torcida, e a gente espera repetir aquilo que sempre fizemos no Independência, principalmente nos clássicos. Estamos com a perspectiva boa, de fazer um grande jogo, todo mundo dar o seu melhor para que a gente possa vencer essa partida no domingo”, disse o zagueiro.

O árbitro da partida no Independência foi definido por meio de sorteio, Emerson de Almeida Ferreira será o responsável por comandar o jogo, ao lado dos auxiliares Guilherme Dias Camilo e Marcos Vinícius Gomes. O Presidente do Cruzeiro não gostou do resultado do sorteio. A diretoria celeste queria a escalação de um árbitro de outro estado. Em entrevista concedida a rádio Itatiaia Gilvan disse:

“A gente estranha essa escolha da arbitragem. Vamos jogar em um estádio que funciona como um caldeirão, que é uma forma de pressionar a arbitragem. Se for um desastre a arbitragem, a responsabilidade é de todos eles [Federação Mineira de Futebol]”, disse o dirigente.

O Atlético-MG está na vice-liderança, com 17 pontos, três a menos do que o Cruzeiro. Uma vitória simples sobre o maior rival dá o primeiro lugar da tabela de classificação ao Galo.