Fim da espera. Neste domingo (20), a partir das 14h, o lendário Independência receberá pela primeira vez, em quase 66 anos de história, uma partida de futebol americano, com o inédito clássico belo-horizontino entre Minas Locomotiva e Get Eagles. Pode não parecer muita coisa, mas o 20 de março de 2016 já está marcado, para sempre, na história da modalidade em Minas Gerais.

Ao mesmo tempo que a crescente rivalidade entre os dois times merece destaque, os jogadores dos dois lados sabem que o sucesso deste confronto é algo muito maior. “A rivalidade será apenas dentro de campo e durante a partida. Este jogo já é um marco na história do esporte aqui no Estado e temos que nos unir para fazer dele um sucesso”, comenta Lucas Israel, running back do Get Eagles.

Já Roberto Schor, linebacker do Minas Locomotiva, comemora o nascimento dessa rivalidade. “É muito bom poder ter um rival na mesma cidade. Acaba que o sucesso de um time puxa o outro para cima. Além disso, toda rivalidade ajuda no crescimento da modalidade. Imagina se não existisse Cruzeiro e Atlético. O futebol não seria a mesma coisa”, avalia o jogador.

Fora de campo

A união em prol do esporte não se limita apenas aos jogadores. Nas arquibancadas do Independência as duas torcidas ficarão juntas. “Apesar da fama de violento, o futebol americano culturalmente é uma verdadeira festa para os torcedores. Nos Estados Unidos, onde realmente há rivalidades imensas entre as equipes, os torcedores assistem a todos os jogos juntos. E é muito raro acontecerem brigas. A própria regra do jogo ajuda, já que ele é mais lento, estratégico, sem a possibilidade de contra-ataque, por exemplo”, explica Abraão Coelho, que é presidente da Federação Mineira e do Minas Locomotiva, e que joga como running back da equipe.

Ingressos
Quem ainda não garantiu seu ingresso, os bilhetes para a partida serão vendidos a partir de 10h, na bilheteria da rua Pitangui. Os valores são: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). Crianças até 12 anos não pagam.

Narrador
Outra medida adotada, para ajudar a popularizar a modalidade, é a presença de um narrador na partida. Como as regras são complexas, é praxe das partidas no Brasil contarem com um narrador explicando a cada jogada as regras, para que todos entendam o jogo.

Futebol amerciano