A variedade de sotaques não é exatamente uma novidade no superclássico mineiro. A cada novo encontro, porém, chama atenção a crescente importância dos estrangeiros no principal duelo do estado, como comprova a partida de hoje entre Cruzeiro e Atlético, às 16h, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

É sobre os ombros dos gringos que estão depositadas as esperanças de torcedores celestes e alvinegros. A Raposa aposta na habilidade do meia Arrascaeta e na eficiência do atacante Ábila, de volta ao time após terem cumprido suspensão. O Galo, por sua vez, conta principalmente com a experiência do zagueiro Erazo e com a criatividade do armador Cazares, recuperados de lesões.

Estas não são, no entanto, as únicas opções internacionais nos elencos (veja a arte abaixo). Para Mano Menezes, uma estratégia possível é escalar Cabral e Romero, formando um trio mais compacto com Henrique no meio de campo. Já Marcelo Oliveira tem a possibilidade de repetir a dupla de centroavantes com Pratto ao lado de Fred, ou ainda acionar Otero como arma para as bolas paradas.

Destaques

A importância dos forasteiros para os dois clubes fica clara nas estatísticas. Na artilharia, por exemplo, Cazares, Arrascaeta e Ábila aparecem empatados com seis gols e são os estrangeiros que mais balançaram a rede dentre todos que disputam o Brasileirão. O camisa 10 celeste é também o vice-líder em assistências, com sete passes decisivos.

Na Bola de Prata da revista “Placar”, mais tradicional premiação individual do campeonato, Arrascaeta concorre entre os principais meias da Série A, com média 6, enquanto Erazo disputa o posto de melhor zagueiro, com 5,62.

Os dois são ainda candidatos ao troféu de melhor estrangeiro da competição, ao lado de Romero (5,62). Vale lembrar que Cazares liderava a Bola de Ouro como craque do campeonato (índice 7) antes de se lesionar, em julho, e deixar a disputa devido ao critério do mínimo de metade dos jogos disputados.

Gino e Dátolo, por outro lado, vivem momentos de baixa nos respectivos clubes. O volante não atua desde a derrota por 3 a 0 para o Atlético-PR, em julho, ainda sob comando do ex-técnico Paulo Bento. Já o meia amarga uma temporada de lesões e, apesar de ter voltado a treinar no fim de agosto, entrou em campo pela última vez na vitória por 5 a 3 sobre o Botafogo, em junho.