As entrevistas recentes do técnico Deivid no Cruzeiro estão se resumindo à pressão sofrida e à falta de encaixe do time, que não consegue ter atuações convincentes, apesar das vitórias. Nesta semana, o treinador celeste ganhou mais um obstáculo para permanecer no cargo: a demissão de Marcelo Oliveira do Palmeiras.

Mesmo com o ex-comandante da Raposa à disposição no mercado, Deivid se diz tranquilo. “Eu acredito e confio no meu trabalho. Tenho o maior respeito pelo Marcelo Oliveira, ele conquistou dois Brasileiros seguidos pelo Cruzeiro, o que não é fácil. Ele chegou aqui em 2013 com uma rejeição muito grande. Mas trabalhou, teve a confiança do clube e conquistou títulos importantes. Eu acredito no meu trabalho, respeito o Marcelo Oliveira, um treinador muito vitorioso, mas estou focado no meu trabalho. Espero colher os frutos que ele colheu”, disse o treinador, nesta sexta-feira, em entrevista ao canal Fox Sports.

Comandante do Cruzeiro bicampeão brasileiro em 2013 e 2014, Marcelo Oliveira deixou o Palmeiras na última quarta-feira após a derrota por 2 a 1 para o Nacional, do Uruguai, em pleno Allianz Parque, pela Copa Libertadores. Em várias enquetes promovidas desde a saída do clube paulista, o treinador é o preferido da torcida celeste para assumir o comando do time.

A busca por um time ideal já foi cobrado publicamente pelo presidente Gilvan de Pinho Tavares em entrevista recente à Itatiaia. Deivid afirmou que ainda está tentando encontrar a melhor formação – as alternâncias nas duas laterais é uma delas. Segundo o treinador, o padrão deverá ser alcançado antes do início do Campeonato Brasileiro.

“Falo para os jogadores que o meu compromisso com eles é ser justo e coerente, colocar quem estiver melhor e respeitar o momento de cada um. O Fabrício não vinha no melhor momento e eu coloquei o Sánchez Miño, o Mayke não vinha bem e eu coloquei o Fabiano. Meu dever é observar e colocar quem estiver melhor. Quando começar o Campeonato Brasileiro já teremos um time formado, com um padrão que eu quero ter e fazendo o que eu penso”, afirmou.

Deivid também comentou sobre as críticas que vem sofrendo da torcida e da imprensa. O treinador disse acreditar que pegam no seu pé por ser inexperiente. “Acho que é pela juventude. A oportunidade é dada para quem se preparou e eu me preparei”, declarou, aproveitando para pedir a compreensão e o apoio do torcedor.

“Eu quero que o torcedor acredite no meu trabalho, no que estou fazendo aqui dentro. Quero fazer um trabalho bom, bem feito, como sempre imaginei. Claro que a desconfiança vai acontecer, mais pela juventude, mas penso que o torcedor tem que acreditar na equipe, tem que apoiar. Quando o torcedor cruzeirense apoia, confia, ele acredita, é o 12º jogador. Torcedor tem que vir ao Mineirão. Empatou ou perdeu, não teve resultado positivo, aí não tem problema, podem vaiar, é do futebol. Mas durante o jogo o mais importante é apoiar”, finalizou.