Se “lixando” para política, Kalil minimiza dificuldades financeiras no Atlético

[huge_it_slider id="4"]
Por: Frederico Ribeiro – Hoje em Dia

O cenário era igual e o assunto misturava política, futebol e dinheiro. Alexandre Kalil, oito meses depois de pedir socorro à presidente Dilma Rousseff para liberar o dinheiro da venda de Bernard, voltou ao auditório na sede do Galo para desistir da candidatura a deputado federal e minimizar as dificuldades financeiras que o clube mineiro enfrenta.

O presidente do Galo encerra sua participação no pleito de 2014, aliviado por voltar a focar na administração do Atlético. “Eu não nasci para ser político, nasci para ser presidente do Atlético”. Kalil viu que na política não teria a mesma função que exerce no Atlético. Admitiu que não se sentia motivado para virar deputado.

Agora, ele tem mais quatro meses para deixar o clube em uma situação boa, tanto dentro quanto fora de campo. Em relação aos salários atrasados, o Galo segue no atraso. Mas Alexandre Kalil afirmou que outros clubes no Brasil possuem um cenário bem mais negativo que o  alvinegro de Minas.

“Resolvemos um mês (de salário atrasado), resolvemos mais meio direito de imagem. Tem clube que paga salário em dia e fica cinco meses de direito atrasado. Estamos acertando, a saúde financeira está muito ruim no futebol brasileiro, empurrar isso para o Atlético é sacanagem”, completou o cartola.

Apesar de patinar no Campeonato Brasileiro, o Atlético faz um bom ano na visão do seu máximo chefe. Kalil valorizou a conquista da Recopa diante do Lanús e diz que o time tem condições de ir para o G-4 do Campeonato Brasileiro.

“O Atlético jogou mal contra o Flamengo. Contra o Figueirense mereceu ganhar o jogo. Estávamos há quatro jogos sem perder. Vamos acabar o ano bacana. Estamos com nariz em pé e queremos mais”.

Related Posts

Atlético entra com recurso na FIFA pedindo ressarcimento em imbróglio envolvendo Welton Felipe

Atlético entra com recurso na FIFA pedindo ressarcimento em imbróglio envolvendo Welton Felipe

Impostômetro atinge R$ 1,8 trilhão no fim de 2014 e bate recorde, informa associação

Impostômetro atinge R$ 1,8 trilhão no fim de 2014 e bate recorde, informa associação

Agronegócio tem prejuízos por causa da estiagem no Estado

Agronegócio tem prejuízos por causa da estiagem no Estado

No Comments Yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *