[huge_it_slider id="4"]
Brian Eno produtor do U2 assina novo trabalho; EP
traz pouco entusiasmo, mas agrada com as
canções Miracles (Someone Special)
e Something Just Like This
Coldplay em pose para fotos do último disco ‘A Head Full Of Dreams (2015)’
(Foto: Divulgação Coldplay)

 

*Crítica Musical
*Jornalista (JP)
*Felipe de Jesus
*💿Avaliação do álbum: Três estrelas
*💿Avaliação máxima: Cinco estrelas

 

Quando escutei pela primeira vez o grupo Coldplay através do seu clássico e conceitual “Parachutes (2000)”, percebi que eles seriam uma das minhas bandas preferidas e foi isso mesmo que aconteceu. Deste álbum de estreia algumas músicas que até hoje marcam a vida de muitas pessoas como Don’t Panic / Trouble / Yellow / Shiver e High Speed são tocadas nos shows mostrando que o grupo além de ser autêntico, está conseguindo atravessar gerações atraindo cada vez mais novos fãs.

No entanto, “Kaleidoscope EP (2017)” novo trabalho lançado em julho não conseguiu trazer a mesma fórmula aplicada nos álbuns “A Rush Of Blood To The Head (2002)”, “X&Y (2005)” e “Viva La Vida (2008)” que ficaram estourados na mídia e no conceito dos fãs. Há pelo menos seis anos seguidos vejo que o Coldplay vem apostando no Rock, mas com muitas “pitadas de dance” em suas músicas como no disco “Mylo Xyloto (2011)” que mesmo trazendo as canções Major Minus (toda no violão) e o hit Paradise, tem as canções Princess Of China e Every Teardrop Is A Waterfall, que em minha opinião convidam os fãs para uma pista de dança.

Capa do Kaleidoscope EP (2017) e de
A Head Full Of Dreams (2015).
Um pouco de semelhança
(Foto montagem: Felipe de Jesus)

Em “Kaleidoscope EP” as faixas deixam claro que o grupo ainda tinha materiais guardados que não entraram no ótimo e bem trabalhado álbum, “A Head Full Of Dreams (2015)”. Basta escutar as canções: All Cant Think About Is You / Miracles (Someone Special) / Aliens e Something Just Like This (com o grupo The Chainsmokers) e Hipnotised que você perceberá que elas caberiam muito bem nesse mesmo disco e não precisariam entrar em um novo álbum. Até a capa do novo EP traz uma referência de A Head Full Of Dreams, basta comparar que você perceberá o que eu digo.

As novas faixas de “Kaleidoscope EP (2017)” não trazem muita novidade em termos de Rock, mas aproximam os fãs da banda a batidas utilizadas em discos do grupo irlandês U2. Talvez seja essa mesma a ideia do grupo, já que o novo álbum é assinado por Rik Simpson, Daniel Green, Bill Rahko e Brian Eno “o quinto” elemento do grupo irlandês e amigos do Coldplay. As faixas carregadas a sons eletrônicos lembram os discos Zooropa (1993), Achtung Baby (1991) e POP (1997) do U2 e das seis novas músicas do Kaleidoscope EP, apenas duas em minha opinião valem a pena serem escutadas em exaustão: Miracles (Someone Special) e Something Just Like This que traz o tradicional Rock e o piano já conhecido pelos fãs do vocalista e compositor Chris Martin.

Banda em fotos do último disco
(Foto: Divulgação Coldplay)

Na onda comercial ))

Como atualmente o mundo consome muita música POP, a fórmula usada pelo Coldplay em Kaleidoscope não soa tão estranhamente, mas para os fãs mais acostumados aos primeiros álbuns, o som de mais guitarras e baterias faz falta. Vale a pena escutar o novo EP, mas para mim, Kaleidoscope não é considerado o “fruto” de um trabalho bem elaborado, mas, talvez uma obrigação do grupo com sua gravadora “Parlophone / EMI”, já que normalmente as bandas precisam seguir contrato e lançar novos trabalhos.

Símbolo que integra a nova turnê
(Foto: Divulgação Coldplay)

Além disso, Kaleidoscope EP passa bem longe, por exemplo, de “Ghosts Stories (2014)” que conseguiu emplacar nas rádios a canção Magic, mais quatro faixas, incluindo A Sky Full Of Stars, que para mim é um banho de entusiasmo. Sou um daqueles fãs “incondicionais” e apaixonados pelo Coldplay desde sua estreia no ano 2000, mas, mesmo assim, avalio o CD “Kaleidoscope EP” com três estrelas. Todavia, continuo na torcida para que o grupo (que chegará ao Brasil para três shows nos dias 7 e 8 de novembro, em São Paulo, no Allianz Parque, e no dia 11 de novembro, em Porto Alegre, na Arena Grêmio), grave o mais rápido o possível um trabalho “realmente” de inéditas. E você, o que achou do novo EP do Coldplay? Até a próxima coluna.

 

Assista ao vídeo clipe de “Something Just Like This”
com o grupo The Chainsmokers: