[huge_it_slider id="4"]

O CD “Gilbertos Samba” reverencia as obras musicais de João Gilberto. O disco traz músicas de autores como Tom Jobim, Vinícius de Moraes e Caetano Veloso, as quais fizeram sucesso na voz do precursor da bossa nova. Entre as canções, estão os clássicos “O Pato“, “Você e Eu” e “Eu Vim da Bahia“

2014-702030838-2014-701571069-2014032710867.jpg_20140327.jpg_20140329Gilberto Gil em boa fase com a música
(Foto: Divulgação)

 

*Sara Paixão (Jornal EXTRA)

Fã declarado de João Gilberto, Gilberto Gil acaba de lançar o CD, no qual regravou 11 canções imortalizadas pelo ícone bossa-novista. O baiano ainda compôs outra em homenagem ao xará no disco “Gilbertos samba” (preço médio: R$ 30).

— Ninguém esquece a primeira vez que ouviu João! A minha foi com “Chega de saudade”. Aquela batida e aquele violão transformariam minha vida! — lembra o artista, que não procurou baixar seu tom de voz para cantar o mito: — A preocupação foi só dar o melhor de mim e dos músicos que trabalharam comigo para fazermos algo à altura do mestre.

A homenagem, no entanto, não fez o discípulo famoso se reaproximar do ídolo.

— Já tive muito contato com João ao longo da vida mas há muito tempo não estou com ele nem falo, pois ele está cada vez mais recluso! — conta Gil.

62_gCapa do novo álbum de Gilberto Gil
(Foto: Divulgação)

Estão no repertório do disco e do show, que o baiano apresentará sexta-feira e sábado, no Teatro Net Rio, em Copacabana, clássicos como “Eu sambo mesmo”, “O pato” e “Desafinado”. O mesmo ouvido que selecionou essas pérolas está atento a produção musical no país.

— Gosto de muitos estilos. Meu gosto vai de João Gilberto a Anitta, passando por quase tudo que se cria aqui — diz ele, que também se orgulha quando outros cantores regravam canções suas: — Quase sempre me emociona ver o modo como diferentes artistas interpretam minha música.

E para a turma da nova geração, Gil manda um recado.

— Como dizia Nelson Rodrigues: “Envelheçam!”. Brincadeira, digo que tentem tudo, ousem, criem e sejam felizes com sua música — deseja o compositor, que só perde o sorriso ao ser questionado sobre que lembranças o aniversário de 50 anos do golpe militar lhe despertam: — Foi um momento muito triste na vida brasileira.