Capital mineira deve receber a nova turnê em breve

Skank-1-1024x682Após uma temporada sem gravar um disco de inéditas, o
grupo voltou ao cenário musical (Foto: Perfexx Comunicação)

*Jornalista
Felipe José de Jesus ))

A Praça da Estação em Belo Horizonte se transformou em um mar de gente, no dia 23 de agosto, durante a apresentação do Skank. Samuel Rosa (guitarra e voz), Henrique Portugal (teclados), Lelo Zanetti (baixo) e Haroldo Ferretti (bateria), fizeram um show gratuito que fazia parte da Olimpíada do Conhecimento, realizado pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). O espetáculo foi uma prévia do que está por vir na nova turnê do recém lançado “Velocia”. O álbum é o 14º da carreira e entre as novas canções, três hits já estão estourados nas rádios: “Ela Me Deixou”, “Do Mesmo Jeito Já” e “Alexia”.

Em entrevista, Samuel Rosa fala sobre os 6 anos que o grupo ficou afastado dos estúdios e não esconde que o disco traz  influências do que fez o grupo se tornar famoso há 21 anos. “Foi mais premeditado irmos de uma coisa a outra, nesse disco, pois a banda já passeou por varias direções, então era simplesmente ir para o estúdio, tocar e descobrir o que ia sair. Naturalmente que, nesse lote de músicas, algumas apontassem mais para o Skank do futuro, com canções inéditas e outras que remeteram ao que o Skank já fez”.

Samuel acrescenta ainda que a banda decidiu fazer o disco quando fosse a hora certa. “Não queríamos ter a obrigação de fazermos um CD a cada ano. Sentimos que agora era o momento e, nesses 10 meses, tivemos tempo para escolhermos melhor aquilo que queríamos”.

Segundo ele, faltava mais confiança dos integrantes para lançar um novo disco para os fãs, principalmente por que a banda já passeou por diferentes vertentes da música. “Demoramos 6 anos para lançarmos algo novo, pois não apareceu um produto que confiássemos antes. Agora, o Skank  usufrui de um legado que construiu para si mesmo. E não desfrutar disso seria um erro, que é exatamente a possibilidade que temos de ficarmos alguns anos sem lançarmos álbum de inéditas”, completa.


Futebol em evidência >>

 Skank 2

Velocia é o novo álbum da banda mineira
(Foto: Perfexx Comunicação)

 

Entre as canções do novo álbum, “Alexia” vem tendo uma boa aceitação do público por sua batida, acordes e pela parceria com o compositor Nando Reis. Perguntado se a canção é uma homenagem ao futebol e se ela tem algo a ver com “É Uma Partida de Futebol”, de 1994, ele diz que não. “Nessa música falamos de uma jogadora que fez um golaço e poucos sabiam. E ela saiu natural, pois nós queríamos falar de algo que achamos interessante. ‘Alexia’ não foi feita para competir com ‘É Uma Partida de Futebol’, que é uma música definitiva. Não existe uma pretensão de substituir uma pela outra”, esclarece.

Em relação à parceria com Nando Reis, amigo íntimo da banda, o músico afirma que ele já estava querendo fazer algum trabalho novo com o Skank há algum tempo. “Nando foi o tempero certo para o disco ‘Velocia’. Eu senti que ele estava muito envolvido, querendo muito trabalhar com a gente. Ele assina seis músicas do disco comigo. Somos velhos amigos e dessa vez ele esteve bem próximo da feitura do disco todo. Esse trabalho representa totalmente o Skank de hoje. Foi um álbum de investimento muito grande de nós mesmos”, conta.


BH em 1° lugar >>

Sobre a nova turnê, o vocalista revela que os shows começam em setembro. “A turnê oficial começa no próximo mês e é claro que Belo Horizonte está nos planos, mas ainda não sabemos a data certa. Nossa carreira começou aqui e temos um público muito bacana, fãs-clubes, etc. No entanto, a agenda não depende só da gente, está sujeita também aos contratantes e a programação das casas de shows de todo Brasil”, conclui.

Assista ao clipe de Ela Me Deixou