Tribunal de Contas de Minas Gerais pagará R$ 4,3 mil em auxílio-moradia

Integrantes da Corte mineira que terão direito à verba para custear moradia TCE-MG/Divulgação
Integrantes da Corte mineira que terão
direito à verba para custear moradia
(TCE-MG/Divulgação)
Bruno Moreno – Hoje em Dia
O valor do auxílio-moradia pago aos conselheiros, conselheiros substitutos e procuradores do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG) será o mesmo recebido pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).
Atualmente, a mais alta Corte do judiciário brasileiro paga R$ 4.377,73 aos magistrados em Brasília. O impacto anual no orçamento da instituição deverá ser de pelo menos R$ 368 mil, apenas para os sete conselheiros titulares.
Com o valor do auxílio-moradia é possível alugar um apartamento de luxo, com quatro quartos e pelo menos duas vagas de garagem, na zona Sul de Belo Horizonte. A publicação da Resolução 24/2014, que regulamentou o valor, ocorreu na semana passada e já está valendo.
A determinação da equiparação do valor do auxílio moradia é uma tendência entre os Tribunais de Contas nos estados. Depois do Conselho Nacional de Justiça ter estabelecido o teto de pouco mais de R$ 4 mil para os ministros do STF, em 10 de outubro deste ano, vários outros estados já adotaram o valor como referência.
Limite
O auxílio-moradia não poderá ser pago aos conselheiros que tiverem à sua disposição imóvel oficial na capital mineira, ou que morem com alguém em imóvel oficial.
Além disso, também não receberá a ajuda o conselheiro que se afastar do exercício do cargo ou licenciado sem remuneração.
Conselheiros têm quase um salário mínimo em diária
Além de fixar o valor do auxílio-moradia para os conselheiros, conselheiros substitutos e procuradores do Ministério Público de Contas, o Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG) também estipulou os valores para as diárias de viagem. Para estadias nacionais o valor é de R$ 600 e, para as internacionais, de U$S 400, ou R$ 1.080, de acordo com a cotação do dólar de ontem.
O valor é parecido com o praticado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que paga R$ 613 por dia aos ministros em viagens no Brasil.
No ano passado, o TCE-MG gastou pouco mais de R$ 1,2 milhão com ressarcimento de viagens de seus servidores, conforme balanço apresentado no site.
A assessoria de comunicação do TCE-MG foi procurada pela reportagem para comentar os valores das diárias e do auxílio-moradia, e para informar qual era o valor praticado anteriormente. Entretanto, o assessor informou que o órgão está em recesso de final de ano. Ele disse que, se conseguisse alguém para comentar o assunto, ligaria para a reportagem, o que não ocorreu.
Comparativo
Segundo levantamento do portal Transparência Brasi, o TCE de Minas Gerais tem metade da verba anual da Assembleia Legislativa estadual (ALMG). Conforme o estudo, o orçamento do TCE-MG corresponde a 52% da dotação da ALMG.
Em outros estados, a comparação entre o valor destinado ao legislativo e aos tribunais de contas varia de 87%, como no Rio de Janeiro, até 15%, que é o caso do Ceará.
Não há uma homogeneidade, mas a grande maioria apresenta a proporção entre 80% e 40%.
O levantamento do Transparência Brasil apontou, ainda, que a maior parte dos conselheiros dos tribunais de contas de todo o país tem como origem o poder legislativo: 94 deles haviam sido deputados estaduais; 52 tinham trabalhado como secretários de governo; e 36 eram vereadores.
Tribunal de Contas de Minas Gerais pagará R$ 4,3 mil em auxílio-moradia

Related Posts

Lari Sol Moda Praia vai promover seu primeiro desfile digital

Lari Sol Moda Praia vai promover seu primeiro desfile digital

Minas Fashion Week quebra padrões

Minas Fashion Week quebra padrões

Vacinação permite ao CENSA Betim liberar visitações a partir do dia 1º de março

Vacinação permite ao CENSA Betim liberar visitações a partir do dia 1º de março

No Comments Yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *