http://www.hojeemdia.com.br/polopoly_fs/1.271931.1412115211!/image/image.jpg_gen/derivatives/landscape_714/image.jpg
O Estadão.com publicou, nesta terça-feira (30), uma reportagem na qual o deputado estadual Durval Ângelo (PT-MG) afirma que a presidente Dilma Rousseff chegou aos 40% nas pesquisas de intenção de voto em Minas porque “tem dedo forte dos petistas dos Correios”. A afirmação do deputado aparece em vídeo gravado durante uma reunião realizada em Minas na última quinta-feira (25), com os dirigentes e funcionários dos Correios. O presidente da empresa, Wagner Pinheiro, também participou do encontro e aparece no vídeo.
 http://jornalcorreioeletronico.com.br/wp-admin/post-new.php
Na gravação, o deputado diz, ainda, que ‘a prestação de contas dos petistas dos Correios será com a vitória do Fernando Pimentel a governador e com vitória da Dilma”, informa a reportagem. Conforme o site, durante a reunião, Durval Ângelo pediu ao presidente dos Correios para informar à “direção nacional do partido sobre ‘a grande contribuição que os Correios estão fazendo’ nas campanhas.
Durante a gravação, Durval Ângelo citou pessoas ligadas ao PT, como o diretor-regional dos Correios em Minas Gerais, Pedro Amengol; o assessor do gabinete da diretoria, Lino Francisco da Silva; e o gerente regional de venda dos Correios, Fábio Heládio.
Em um trecho do vídeo, o deputado afirma: “no’dia da reunião que nós tivemos no hotel [da qual participou Pimentel], o Helvécio [Magalhães, coordenador da campanha do petista] falou: ‘Vou reunir com a equipe ainda esta semana e vamos liberar a infraestrutura. E, se hoje nós temos a capilaridade da campanha do Pimentel e da Dilma em toda Minas Gerais, isso é graças a essa equipe dos Correios.’”, detalha o site Estadão.
Durval Ângelo disse ainda que os Correios “trabalharam com as 66 mesorregiões [de Minas] Gerais e que foram feita reuniões em todas as macrorregiões. Conforme divulgado, em 19 de setembro, pela Agência Estado, e apurado pelo O Estado de S.Paulo, os Correios abriram uma exceção para distribuir, em São Paulo, folders de Dilma Rousseff sem chancela ou comprovante de postagem oficial. Ao todo, teriam sido distribuídos 4,8 milhões de folders da petista. Nas prestações de contas entregues pela presidente Dilma Rousseff e por Fernando Pimentel à Justiça Eleitoral até o momento, não há qualquer menção a despesas com serviços dos Correios.
De acordo com o site do Estadão, a assessoria de imprensa dos Correios, que confirmou a participação do presidente da empresa na reunião, disse que a empresa não está contribuindo para a campanha de nenhum candidato. “’A reunião não ocorreu durante o expediente e a empresa não custeou despesas relacionadas a ela.’”, disse a assessoria dos Correios ao site.
Ainda segundo a reportagem do Estadão, o deputado Durval Ângelo não respondeu a nenhuma das chamadas feitas por sua equipe de reportagem. Já a assessoria de campanha de Dilma Rousseff disse ao site que a campanha “não mobiliza funcionários da empresa. A única relação da campanha com os Correios ocorre mediante prestação de serviços pagos, como já informado anteriormente ao Estado de S. Paulo”.
Conforme o Estadão, a campanha de Pimentel disse que o candidato vem se reunindo e tendo o apoio de vários servidores de Minas, inclusive dos Correios. Pimentel se reuniu na semana passado com o diretor dos Correios em Minas, Pedro Amengol. “’Demonstramos o apoio do coletivo de trabalhadores e trabalhadoras dos Correios que está organizado há mais de dez anos no estado’, afirmou Amengol, conforme noticiado no site da campanha. Procurado, Amengol não retornou a ligação, segundo informou o Estadão.
Clique aqui para conferir a matéria na íntegra no portal Estadão.