[huge_it_slider id="4"]

Começa a valer, a partir desta quarta-feira (1º), a isenção de vistos para turistas norte-americanos, japoneses, canadenses e australianos, que desembarcarem no Brasil até o dia 18 de setembro. A iniciativa brasileira quer incentivar a entrada de visitantes de países que, só em 2015, foram responsáveis pela emissão de 759.087 turistas, segundo o Anuário Estatístico do Turismo.

A Embaixada dos Estados Unidos já disponibilizou um blog para informar aos cidadãos americanos, interessados em visitar o Brasil durante esse período, que o governo brasileiro facilitou a entrada no País. No ano passado, os EUA enviaram 575.796 turistas para o Brasil, perdendo apenas para a Argentina, responsável por 2.079.823 visitantes, o equivalente a 33% do total de turistas. A embaixada norte-americana também está produzindo um vídeo sobre a isenção de vistos, que será divulgado nas redes sociais.

O Ministério do Turismo, em parceria com os ministérios da Justiça e Relações Exteriores, produziu um Perguntas e Respostas em português, inglês e espanhol para sanar dúvidas sobre a ação.

“A medida do governo federal de isenção de vistos para turistas de quatro países levou em consideração um conjunto de fatores como: países que mais gastam no Brasil, baixo risco migratório e forte tradição olímpica. Esses milhares de turistas que são esperados para participar da grande festa que será a Olimpíada do Rio irão movimentar a economia do País por meio dos gastos em hotéis, restaurantes, aluguéis de veículos, entre outros”, avaliou o ministro Henrique Eduardo Alves.

A expectativa é de que a medida tenha reflexos tanto no aumento de visitantes quanto no incremento da economia. De acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT), a facilitação de viagens pode gerar um aumento de até 20% no fluxo entre os destinos. Isso representa um acréscimo aproximado de 75 mil turistas internacionais e uma injeção de US$ 80 milhões na economia brasileira.

Estímulo econômico

O turista norte-americano é o que mais gasta no Brasil no segmento lazer. O gasto médio dia do visitante aqui é de US$ 125,21, enquanto a média global é de US$ 87, de acordo com a Demanda Internacional do MTur. “A isenção de vistos é uma excelente ideia para estimular a vinda de turistas para a Olimpíada e, quem sabe, esses visitantes fiquem um pouco mais para conhecer outros lugares além das cidades-sede”, comentou a presidente da Federação Nacional dos Guias de Turismo (Fenagtur), Irma Karla.

Para o presidente da Associação Brasileira de Agência de Viagens (Abav), Edmar Bull, a medida é positiva. “Vamos defender que essa ação tenha continuidade. A gente quer um apoio de todos os políticos para isso continuar de forma a trazer mais turistas e mostrar cada vez mais o Brasil para o mercado internacional”, defendeu.

A medida foi avaliada positivamente também pela presidente da Braztoa, Magda Nassar. “A isenção de vistos foi um ganho para o turismo brasileiro que é considerado mundialmente um empecilho para o viajante. Ela permite que a gente comece a pleitear uma melhor relação especialmente com países como Estados Unidos e Austrália. É uma medida que precisa ser prorrogada por tempo indeterminado e que certamente fará aumentar o fluxo de visitantes ao País”, afirmou.

Manuel Gama, Presidente do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (Fohb) e da rede Travel Inn também comentou a medida. “A burocracia brasileira é um dos fatores que afetam negativamente a competitividade do Brasil como destino turístico, por isto o Fohb apoia todas as medidas que buscam estimular o aumento do fluxo de turistas para nosso País, incluindo aquelas que simplificam os processos para concessão de vistos”, disse.