Moradores de Belo Horizonte foram surpreendidos por um temporal na noite deste domingo. O Corpo de Bombeiros atendeu ocorrências de enchentes com pessoas ilhadas dentro de residência, e pessoas presas dentro de veículos. No Prado, Região Oeste, a Avenida Francisco Sá novamente foi tomada pela água que arrastou carros. Outras vias, como a Avenida Cristiano Machado, também tiveram alagamentos. Alguns bairros da Região Centro-Sul ficaram às escuras. Por meio das redes sociais, moradores da capital mineira comentaram sobre a forte chuva.

Um ponto já conhecido pelos alagamentos voltou a assustar comerciantes e moradores. A Avenida Francisco Sá foi encoberta por uma enchente. A força da água foi tanta que alguns veículos foram arrastados. Calçadas foram encobertas e pedestres se protegeram dentro de estabelecimentos. De acordo com o Corpo de Bombeiros, ninguém se feriu.

Segundo a estudante Ester Santos, de 14 anos, vários carros foram levados e subiram uns nos outros. Algumas caçambas também foram arrastadas. Alguns fiéis que estavam em um culto saíram correndo do local e ajudaram a tirar os carros, que ficaram bastante estragados. Os moradores afirmaram que o Corpo de Bombeiros chegou ao local, mas como não teve vítimas, foram embora.

Em outro ponto da avenida, o Restaurante Sushi Japa, alagou com a chuva. De acordo com o proprietário, Luiz Gonzaga da Fonseca, em cinco minutos o imóvel foi tomado pela correnteza, levando clientes ao desespero. Mas, ninguém se feriu. Para evitar alagamento, foi aberta uma porta lateral. “Carros foram arrastados, perdemos lixeiras e parte das grades”, conta ele, que foi obrigado a fechar o restaurante mais cedo: as 21h30, ao invés das 0h30.

De acordo com militares do pelotão do Barreiro, moradores de uma casa na Rua El Shaday, no Bairro Vitória da Conquista, na Região do Barreiro informaram que estava dentro de uma residência quando a água subiu rapidamente e deixou duas crianças e duas mulheres presas. Viaturas do pelotão, de Betim e Juatuba, foram enviadas ao local.

A moradora Alessandra Oliveira afirma que passou por momentos de terror. “Veio muito rápido. A água arrebentou o meu portão. Tem muito entulho na minha rua que entrou tudo para minha casa”, contou. Segundo ela, não teve tempo de retirar os móveis. “Não sei se minha geladeira está funcionando. Está tudo para cima, mas tem coisa que não conseguimos retirar”, disse.

Quando a água invadiu a residência, ela estava junto com duas crianças. Com coragem, conseguiu levá-las para um local seguro. “Coloquei todo mundo em cima da cama. A água chegou até o colchão. Liguei para minha vizinha e entrei na água com os meninos no colo. Consegui passar eles para ela pelo muro”, afirmou.

Na Rua Sapucaí, no Bairro Floresta, na Região Leste, um veículo do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ficou preso no alagamento. Testemunhas informaram que o veículo estragou e ficou parado no meio da via. Com a chuva, a água subiu rapidamente e encobriu parte dele. Um carro acabou arrastado no local e sofreu avarias. Poucos minutos depois, a água baixou. Ninguém ficou ferido.

Na Avenida José Cândido da Silveira, no Bairro Santa Inês, na Região Nordeste de Belo Horizonte, a água subiu rapidamente e encobriu parte de um veículo. O solicitante informou que uma pessoa ficou presa dentro do carro.