Após quase duas horas de prova no Forte de Copacabana, a brasileira Poliana Okimoto levou o bronze na maratona aquática feminina – seu tempo foi de  1:56:51.4. Ela, na verdade, chegou na quarta colocação, mas a francesa Aurelie Muller, que finalizou a prova em segundo, foi punida por ter se apoiado na terceira colocada Rachele Bruni, da Itália, na linha de chegada e perdeu o pódio.

Com isso, a italiana herdou a prata e a brasileira o bronze. A prova foi vencida, com larga folga, pela holandesa Sharon van Rouwendaal, que surpreendeu e chegou 16 ssegundos à frente das demais. Ana Marcela Cunha foi só a 11.ª colocada, quase um minuto depois da campeã, e chorou demais após a competição.

Poliana Okimoto foi bronze na maratona aquática do Rio de Janeiro
Rio 2016/REPRODUÇÃO
Poliana Okimoto foi bronze na maratona aquática do Rio de Janeiro

Depois de dias de ressaca forte no mar de Copacabana, nesta segunda-feira o clima não poderia estar melhor. Sol forte e águas tranquilas para a primeira prova olímpica de maratona aquática em mar aberto – em Pequim a disputa foi em uma raia de remo e em Londres em um lago.

As brasileiras imprimiram ritmo forte no fim da primeira volta, passando praticamente juntas, em primeiro, pela boia. Na metade da prova, Ana Marcela era a 11.ª colocada, enquanto o resultado de Poliana não foi identificado pelo sistema eletrônico de cronometragem.

O pódio da maratona aquática feminina, com Poliana Okimoto em 3º
Rio 2016/REPRODUÇÃO
O pódio da maratona aquática feminina, com Poliana Okimoto em 3º

A 2,5km do fim, Van Rouwendaal estava um pouco à frente das rivais, enquanto Poliana era terceira e Ana Marcela a sétima no pelotão, de 14 nadadoras. A holandesa abriu vantagem surpreendente, deixando para trás a chinesa Xin Xi, Poliana, Bruni e Muller. O triou atropelou a asiática, mas a brasileira não conseguiu manter o ritmo. Ainda que acelerasse, não manteve perseguição à francesa e à italiana.

A medalha olímpica era a conquista que faltava tanto na carreira Poliana Okimoto – ela e Ana Marcela somam 10 medalhas em Mundiais. A frustração de Ana Marcela é imensa, já que ela colecionou uma incrível sequência de 18 pódios seguidos em eventos internacionais durante quase dois anos.

Com o bronze de Poliana, o Brasil tem sete medalhas nos Jogos Olímpicos, obtidas por Rafaela Silva (ouro no judô), Diego Hypolito (prata na ginástica), Felipe Wu (prata no tiro), Rafael Silva, Mayra Aguiar (ambos bronze no judô) e Arthur Nory Mariano (bronze na ginástica artística). Além disso, há pelo menos uma prata garantida para Robson Conceição, no boxe, e um bronze assegurado no vôlei de praia feminino.