A Superliga masculina de vôlei viu na noite desta sexta-feira (1º) uma de suas melhores partidas da temporada. No lotado Ginásio Lauro Gomes, em São Caetano do Sul (SC), o Sesi-SP recebeu o Sada Cruzeiro em busca da sobrevivência na série semifinal. O alto nível técnico apresentado em toda a partida só poderia resultar em cinco sets. Melhor para o time celeste, o melhor da competição, que cravou seu lugar na sexta final consecutiva, em busca do quarto título.

O triunfo por 3 sets a 2 contra o grande rival da década teve parciais apertadas: 26/24, 27/29, 23/25, 25/23 e 15/10, em noite inspirada do oposto Wallace, que saiu com 30 pontos anotados, segundo scout de O TEMPO. Ele foi escolhido o melhor em quadra. Théo, com 19 acertos, foi o maior pontuador do Sesi-SP.

Classificado, o time azul só aguarda a definição do classificado entre Brasil Kirin-SP e Funvic-Taubaté-SP, que fazem o segundo jogo também nesta sexta. Taubaté tem a vantagem por ter feito 3 a 1 no primeiro duelo, em casa. A decisão será no dia 10, em Brasília.

Já o Sesi-SP, vice-campeão nas duas últimas temporadas, se despede do torneio com a quarta melhor campanha, já que os outros dois semifinalistas têm desempenho superior.

O jogo. No primeiro set, após abrir três de vantagem com ace de Éder, o Sada Cruzeiro viu o Sesi, com bloqueios e contra-ataques, virar em 12 a 11. Depois, os saques de Leal e contragolpes devolveram a vantagem ao Sada em 20 a 18. Se o Sesi empatou com bloqueio de Sidão, na mesma moeda, Isac fechou o set para o Cruzeiro em 26 a 24.

Com erros adversários, o Sada Cruzeiro abriu 3 a 0 no segundo set, acabou vendo a virada paulista, mas voltou a abrir, com bons saques, em 14 a 12. Douglas Souza, com quatro pontos seguidos, fez o Sesi virar em 18 a 17. Na reta final, total equilíbrio. Após desperdiçar quatro set points, o Sada viu Aracaju, com dois aces, fechar o set em 29 a 27.

Vendo o adversário afinado em todos os fundamentos e tendo dificuldades para encaixar seus saques, o Sada esteve o maior tempo em desvantagem no terceiro set. Bloqueando muito e contando com desatenção celeste, o Sesi fez 25 a 23 e virou para 2 a 1.

O alto nível foi mantido no quarto set. Embalado por Wallace, o Cruzeiro abriu três em 10 a 7. Sem desperdiçar contra-ataques, a folga foi para cinco em 16 a 11. Apesar de sofrer bastante no final com o saque de Aracaju, a Raposa forçou o tie-break com a vitória por 25 a 23.

Mantendo o embalo, o Cruzeiro contou com Leal e Wallace para abrir 6 a 3 no quinto set. Com boa marcação e vendo o adversário errar, o Sada encaminhou a grande vitória. 15 a 10 e 3 a 2.