Brasil

Macarrão, condenado no caso Eliza, consegue benefício do semiaberto

2 Min leitura

Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, amigo do goleiro Bruno Fernandes e condenado a 15 anos de prisão por envolvimento na morte de Eliza Samudio, passará para o regime semiaberto. Ele também obteve os benefícios de saída temporária e trabalho externo.

Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, a concessão da medida passa a valer a partir desta quarta-feira (1º). Mas para deixar a prisão durante o dia e retornar à noite, Macarrão precisa ser transferido de unidade prisional e comprovar que conseguiu um emprego externo, segundo o tribunal.

Macarrão teve 425 dias da pena perdoados após trabalhar 1.134 dias e concluir 570 horas de estudo entre outubro de 2011 e setembro de 2015, conforme informou a Justiça.

Em 23 de novembro de 2012, o amigo do goleiro Bruno foi condenado a 12 anos em regime fechado por homicídio triplamente qualificado – motivo torpe, asfixia e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima – e mais três anos em regime aberto por sequestro e cárcere privado. Ele foi absolvido da acusação de ocultação de cadáver.

Macarrão está preso na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, que é um complexo de segurança máxima e não tem detentos no regime semiaberto.

Caso Eliza Samudio

Eliza desapareceu em 2010 e seu corpo nunca foi encontrado. Ela tinha 25 anos e era mãe do filho recém-nascido do goleiro Bruno, de quem foi amante. Na época, o jogador era titular do Flamengo e não reconhecia a paternidade.
Em março de 2013, Bruno foi considerado culpado pelo homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado da jovem. Ele foi sentenciado a 22 anos e três meses de prisão pela morte e ocultação do cadáver de Eliza, além do sequestro do filho da jovem.

A ex-mulher do atleta, Dayanne Rodrigues, foi julgada na mesma ocasião, mas foi inocentada pelo conselho de sentença. Macarrão e Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada do atleta, já haviam sido condenados em novembro de 2012.

O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos foi condenado a 22 anos de prisão. O último júri do caso foi realizado em agosto de 2013 e condenou Elenilson da Silva e Wemerson Marques, o Coxinha, por sequestro e cárcere privado do filho de Eliza Samudio com Bruno. Elenilson foi condenado a 3 anos em regime aberto e Wemerson a dois anos e meio também em regime aberto.

2997 posts

About author
Felipe de Jesus | Jornalista (FESBH), Publicitário (IPSP), Teólogo (F.ESABI), Sociólogo e Letras (F.Polis das Artes), Economista (UNIP) & Advogado (FACSAL). Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (UEMC). [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]
Articles
Relacionados
Brasil

Programação do BiS 2021 contará com debates sobre apostas, loterias e jogos

1 Min leitura
Com o Brasil se transformando em uma referência nos segmentos de afiliação, loterias e apostas em esportes, inúmeros grupos internacionais estão prestando…
BrasilCulturaLiteraturaSão Paulo

Único na história da humanidade, livro de sonetos de terror agraciado pelo Prêmio ABERST de Literatura 2021 é lançado

2 Min leitura
Retomar os terrores não pandêmicos, que causam dores particulares desde sempre, é o convite do sonetista Eduardo Maciel em SonetERROR (Autografia), quarto…
Belo HorizonteBrasil

Partilhas de joias

4 Min leitura
Na foto: Hugo Werner Flister, gemólogo, perito judicial e membro da Associação dos Peritos Judiciais de Minas Gerais (ASPEJUDI).   Confiram algumas…
Power your team with InHype
[mc4wp_form id="17"]

Add some text to explain benefits of subscripton on your services.