jornalista Félix Júnior

Para o torcedor que esperou três longos meses de Campeonato Mineiro, o momento tão aguardado finalmente chegou. Neste domingo, América-MG e Atlético-MG iniciam a disputa da decisão do Estadual, às 16h (de Brasília), no Independência, em um primeiro duelo que promete o mesmo equilíbrio dos dois primeiros confrontos realizados entre as equipes nesta temporada.

Foram dois empates. Um pela primeira fase do Campeonato Mineiro e outro pela Primeira Liga. No América-MG, a ideia é que uma nova igualdade passe longe do Horto neste domingo. Isto porque o time precisa vencer para reverter a vantagem do Atlético-MG, que terminou a fase inicial do Estadual mais bem colocando, garantindo o benefício de jogar por dois empates ou por vitória e derrota pela mesma diferença de gols na decisão da competição.

Os dois times entram em campo com tabus. O América-MG não vence o Estadual desde 2001 e foi eliminado pelo Atlético nos últimos quatro confrontos no mata-mata: 2010, 2011, 2012 e 2014. Já o Atlético, após eliminar o América na semifinal em 2014, não venceu mais o rival desde então.

A vantagem do adversário, porém, não tira o sono do técnico Givanildo Oliveira, que toma como exemplo a partida de ida das semifinais contra o Cruzeiro, quando o América-MG venceu o jogo de ida por 2 a 0, revertendo a situação desfavorável no duelo. No jogo seguinte, o América-MG apenas administrou a diferença no placar para empatar por 0 a 0 e avançar à final.

Pensando em, desta vez, reverter a vantagem atleticana, o América-MG poupou alguns titulares na última quinta-feira, quando se classificou na Copa do Brasil após vencer o Red Bull Brasil. A estratégia pensada pela comissão técnica, contudo, não foi de toda bem-sucedida, tendo em vista que o titularíssimo Tony acabou se lesionando. Além do meia, o time não conta com o zagueiro Adalberto e o armador Rafael Bastos, que também estão no departamento médico.

“Quem está no grupo é para jogar. Todos que estão no grupo têm condições de jogo e a hora que precisar devem corresponder. O Tony é importante sim, por isso que vem sendo titular. Mas quem entrar no lugar dele, vai ter que corresponder. É por isso mesmo que está no grupo do América”, colocou o técnico Givanildo Oliveira.

Pelo lado do Atlético-MG, o departamento médico anda mais vazio, porém isto não é garantia de que o técnico Diego Aguirre não faça alterações em relação à equipe que empatou por 0 a 0 com o Racing, na última quarta-feira.

Para a partida, a grande dúvida do técnico Diego Aguirre diz respeito à utilização do atacante Robinho, que reclamou de dores após a partida diante do Racing. Caso o camisa 7 não atue, o treinador deve promover a entrada do lateral Patric, que se recuperou de uma artroscopia no joelho direito e é a grande novidade do grupo que estará à disposição para o primeiro jogo das finais do Campeonato Mineiro.

Apesar da possibilidade de mudança na equipe titular, a tendência é que Diego Aguirre mantenha Robinho entre os 11 iniciais para domingo. Além da repetição do time da última quarta, o comandante uruguaio também voltará a utilizar o esquema com três volantes e um único armador no meio-campo, que vem garantido segurança defensiva ao Atlético-MG, algo essencial para que o time alvinegro siga em vantagem no confronto após os primeiros 90 minutos da decisão estadual.

“A expectativa é muito grande. É um jogo importante para nós. Falamos desde o primeiro dia que um dos objetivos era tentar sermos campeões mineiros. Para isso, temos de passar às finais contra um time muito forte, um time que merece estar onde está. Será um bom jogo. No domingo não se decide nada, mas é importante encaminhar para tentar ser campeão. É final de 180 minutos, que começa neste domingo”, destacou Aguirre.

FICHA TÉCNICA:
AMÉRICA-MG X ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 1º de maio de 2016 (domingo)
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas (FIFA-PA)
Assistentes: Eduardo Gonçalves (FIFA-MS) e Rodrigo Correa (FIFA-RJ)

América-MG: João Ricardo; Pablo, Alison, Sueliton e Bryan; Leandro Guerreiro, Claudinei, Ernandes, Osman e Tiago Luís; Victor Rangel. Técnico: Givanildo Oliveira

Atlético-MG: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Erazo e Douglas Santos; Rafael Carioca, Leandro Donizete, Júnior Urso e Dátolo; Robinho (Patric) e Lucas Pratto. Técnico: Diego Aguirre