Notícias

Universidades federais pedem mais recursos para fechar contas

2 Min leitura


Logo Agência Brasil

As reitoras e os reitores da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), que reúne todas as 69 universidades federais e dois centros federais de Educação Tecnológica (Cefet), divulgaram nesta sexta-feira (15) uma nota na qual pedem mais recursos para as instituições.

De acordo com a nota, as universidades federais enfrentam “uma situação dramática devido a sucessivos cortes orçamentários de anos anteriores, afetando negativamente o ensino, a pesquisa, a extensão e a inovação, de excelência reconhecida nacional e internacionalmente”.

Notícias relacionadas:

As instituições reconhecem que, desde o início deste ano, houve avanços na qualidade do diálogo com o governo federal e no empenho e compromisso do Ministério da Educação (MEC) em evitar contingenciamentos nos orçamentos das universidades federais, mas ressaltam que os recursos repassados às universidades federais este ano foram insuficientes.

Segundo a Andifes, a falta de recursos somada à falta de repasses para acompanhar o essencial e justo aumento das bolsas de graduação e pós-graduação feito este ano pelo MEC e Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), colocaram as universidades “em uma situação crítica no último trimestre do ano, à beira da insustentabilidade”.

Além disso, diz a nota, o Projeto de Lei Orçamentária 2024 contém um orçamento menor para as universidades federais do que o montante conquistado em 2023.

Diante dessa situação, as reitoras e reitores pedem a complementação de R$ 500 milhões no orçamento das universidades federais ainda este ano e o acréscimo de R$ 2,5 bilhões nos recursos discricionários no Orçamento de 2024, somando aproximadamente R$ 8,5 bilhões, valor um pouco inferior ao Orçamento de 2017 corrigido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

A Andifes pede ainda a divulgação, por parte do governo federal, do montante de recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) destinado às universidades federais. Esses recursos são necessários, de acordo com a entidade, para a retomada e finalização de obras paralisadas, aquisição de equipamentos e consolidação da expansão das universidades federais ocorrida nos últimos 15 anos.

Ministério da Educação

Em nota, o MEC diz que tem atuado para “recompor o orçamento e fortalecer o ensino superior público, depois de anos de desmonte e descaso”. Para as universidades federais, a pasta ressalta que ampliou o orçamento encaminhado na PLOA 2023 em mais de R$ 1,3 bilhão, quando comparado ao ano anterior, sem cortes no decorrer do ano. Ainda nesta sexta-feira, uma portaria complementou o custeio em R$150 milhões.

“O debate em torno da PLOA 2024 encontra-se em trâmites no Congresso Nacional”, disse o ministério.

https://ift.tt/cv1pn0D

Relacionados
BrasilCulturaGeralNotícias

Serginho Marques celebra 40 Anos de carreira com show especial no Palácio das Artes

3 Min leitura
Apresentação será realizada no dia 26 de maio, domingo, com 12 convidados que se juntaram em prol do anfitrião, diagnosticado há três…
BrasilGeralMinas GeraisNotícias

ÚLTIMOS DIAS DO MAIOR PARQUE DE INFLÁVEIS DO MUNDO EM BELO HORIZONTE

3 Min leitura
Temporada mineira do Pula Pula Park está na reta final e atração preparou condições especiais para o público viver essa experiência Quem…
BrasilCidadesCulturaGeralNotíciasVariedades

55ª Expô Barbacena começa nesta quarta-feira com shows de Anderson Freire e Padre Alessandro Campos

5 Min leitura
A tradicional exposição agropecuária acontece de 15 a 19 de maio, no Parque de Exposições Senador Bias Fortes, com programação técnica e…
Power your team with InHype
[mc4wp_form id="17"]

Add some text to explain benefits of subscripton on your services.