No primeiro fim de semana após a abertura oficial do período de campanha eleitoral, os candidatos à Prefeitura de Belo Horizonte cumpriram agenda em diferentes regiões da cidade. Dois deles, Alexandre Kalil (PHS) e João Leite (PSDB), movimentaram a Savassi, na região Centro-Sul.

Kalil e seu candidato a vice, Paulo Lamac (Rede), inauguraram o comitê da campanha, enquanto o tucano visitou a nova feira de flores da Savassi, ao lado de Ronaldo Gontijo (PPS), vice na coligação.

O ex-presidente do Atlético foi recebido por dezenas de militantes e aliados políticos, com carro de som, bandeiras, faixas e adesivos. “O que tenho visto é uma cidade abandonada, é um povo maltratado, é uma coisa horrorizante”, alfinetou, se referindo à atual gestão. Kalil e Lamac voltaram a criticar o apadrinhamento político de alguns concorrentes, que, segundo o candidato a prefeito, é “uma máquina de propaganda enganosa” e enalteceram o fato de serem belo-horizontinos.

“Sabemos que vamos nos confrontar com os velhos caciques da política, mas eles não nos metem medo. Não estamos chegando aqui em Belo Horizonte agora para saber onde estão as coisas. Chega da velha politicagem”, afirmou Lamac.

O candidato tucano, que tem como principais padrinhos políticos os senadores Aécio Neves e Antonio Anastasia, rebateu as insinuações dos adversários. “Acho bonito os entendimentos que ocorrem dentro da política, lembra um tabuleiro de xadrez, os experientes vão mexendo nas peças e é isso que está acontecendo. O que não é bonito é a corrupção”, disse.

Acompanhado do ex-governador de Minas Alberto Pinto Coelho (PP), João Leite cumprimentou transeuntes, tirou fotos com crianças e recebeu uma pauta com reivindicações do presidente da Associação dos Moradores e Amigos da Savassi, Nelson Galizzi.

Outros pontos. O candidato petista à PBH, Reginaldo Lopes, cumpriu extensa agenda na manhã deste sábado no Barreiro, onde caminhou e conversou com moradores. Ao lado da candidata a vice na chapa, Jô Moraes (PCdoB), o petista percorreu o centro comercial do bairro. “Conversei com vários usuários do transporte público, que reclamaram da situação de abandono do local”, afirmou.

Lopes também criticou o funcionamento do Hospital do Barreiro, construído pela atual gestão. “Infelizmente, é um hospital de porta fechada, só está atendendo 10% de sua capacidade e Belo Horizonte precisa de, no mínimo, mais 600 leitos”, afirmou.

Rodrigo Pacheco, candidato do PMDB, ouviu de comerciantes e moradores reclamações sobre a insegurança e falta de estímulo ao comércio, durante caminhada na avenida Abílio Machado, no bairro Alípio de Melo, região Noroeste. “São problemas que a gente tem que ouvir para fazer o nosso plano de governo e poder encontrar soluções efetivas, eficazes e eficientes para resolvê-los”, disse.

Junto do vice de sua chapa, Josué Valadão (PSB), e do prefeito Marcio Lacerda (PSB), o candidato Délio Malheiros (PSD) percorreu os centros comerciais de Venda Nova e dos bairros Céu Azul e São Bernardo. “Escutamos as pessoas, tivemos boas sugestões, boas ideias e assim vamos fazer nossa campanha: caminhando de peito aberto”, afirmou Délio, que também disse que o plano de governo está sendo elaborado de acordo com as necessidades de cada região. “A melhoria da mobilidade urbana, universalização da educação infantil e a construção da nova rodoviária, são alguns de nossos objetivos”, acrescentou.

O candidato Sargento Rodrigues (PDT) esteve no centro comercial do bairro Betânia, na região Oeste da capital, onde conversou com comerciantes. “É uma parte da cidade que conheço bem e sei que há muitas reclamações sobre a questão da segurança pública e também da saúde. Tive a oportunidade de cumprimentar, conversar e apresentar propostas. É essa a dinâmica que pretendemos para todos os fins de semana”, disse o candidato, que se surpreendeu com o fato de que muita gente já o conhecia.