BrasilCulturaGeralNotícias

Radiologia sem medos

2 Min leitura

Dr. Júlio Almeida, médico da VX Medical Innovation. Crédito: Ana Medeiros.

Dr. Júlio Almeida, médico da VX Medical Innovation, desmistifica preconceitos e pontua evoluções na área da radiologia

A necessidade de realizar uma radiografia, os exames de ultrassonografia, a tomografia computadorizada ou uma ressonância magnética, até mesmo o contraste, por mitos ou preconcepções, geram muitos medos em alguns pacientes. De acordo com o Dr. Júlio César Almeida, médico radiologista da VX Medical Innovation, experiências contadas por conhecidos do paciente tornam essa aversão recorrente. “Essa fobia é muito comum. Alguns artigos dizem que até 30% das pessoas enfrentam um certo pânico quando chegam no exame”, evidenciou.

Desmistificando culturas antigas e alguns preconceitos acerca do assunto, o especialista aponta importantes evoluções tecnológicas nos equipamentos e meios para a realização dos exames radiológicos. “Os métodos de radiologia evoluíram bastante e a tecnologia evolui muito rápido. A evolução é constante, o conforto do paciente aumenta muito, a assertividade do diagnóstico melhora bastante, mesmo assim, o medo permanece. A gente escuta mitos que devem ser combatidos, mas ainda é muito comum”, destacou o médico.

Um dos exames mais temidos pelos pacientes é o de ressonância, que, segundo o Dr. Júlio, de todos os demais, é o mais “inócuo”, com indicações restritas, para algumas patologias melhor, para outras não, mas é o exame mais novo e o mais evoluído. “A ressonância magnética traz esse medo na população porque é um exame que você fica em um túnel. Com o evoluir da ressonância magnética, os engenheiros, os estudiosos tentam sempre algumas inovações. Uma delas é diminuir o túnel e a outra é alargá-lo. Os túneis já se alargaram muito desde quando começou, então a sensação de claustrofobia é muito menor”, tranquilizou o médico.

Vale ressaltar que o tempo para se realizar um exame tomográfico reduziu bastante com o passar dos anos. Uma tomografia de abdômen, que mais ou menos uma década atrás levava entre 10 e 15 minutos, hoje tem o resultado entregue entre 20 e 30 segundos. É relevante atentar-se também para a importância de se procurar um médico ao receber um exame e não buscar informações por meio de buscadores da internet. “Você cria uma ansiedade desnecessária, muitas vezes procura médicos desnecessários, baseado em informações que encontrou ali e que não precisa, ou seja, é importante você voltar no seu médico, fazer um exame físico adequado, somando o exame de imagem, o laudo e o achado clínico, além da história do paciente para chegar a uma patologia e, de fato, se precisa ou não de tratamento”, alertou Dr. Júlio.

Dentre os exames mais comuns, feitos em clínicas radiológicas, ou seja, que o radiologista mais realiza, estão: a radiografia, que é o famoso e antigo raio X, os exames de ultrassonografia, que é aquele exame que você deita e passa o transdutor na barriga, muito comum para ver o neném no pré-natal, o exame de tomografia computadorizada e o exame de ressonância magnética.

Relacionados
Notícias

Entidades da indústria elogiam nova política para o setor

2 Min leitura
Lançado nesta segunda-feira (22), o programa Nova Indústria Brasil recebeu elogios das entidades do setor. Os representantes de diversos segmentos da indústria…
Notícias

PM do Rio usará câmeras do transporte público em reconhecimento facial

2 Min leitura
A Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMRJ) aumentou o número de câmeras usadas para abastecer o sistema de reconhecimento facial. Nesta…
Notícias

Defesa apresentará plano definitivo de apoio aos Yanomami

3 Min leitura
O ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, prometeu nesta segunda-feira (22) que apresentará até o fim da semana um projeto para atuação…
Power your team with InHype
[mc4wp_form id="17"]

Add some text to explain benefits of subscripton on your services.